Logo AX4B

5 dicas para uma arquitetura sustentável

COMPARTILHE

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email

Quinze das vinte maiores empresas globais de Arquitetura e Engenharia (A/E), responsáveis por mais de $100 bilhões em construção anualmente, já adotaram e implementaram o Desafio 2030.

De acordo com uma pesquisa recente de líderes no setor de design realizada pelo Design Futures Council, aproximadamente 40% de todas as empresas de arquitetura dos EUA adotaram o desafio. Para que as empresas incorporem a sustentabilidade em todos os projetos, seus líderes precisam defendê-la ativamente e possibilitar a mudança. A Pesquisa mostra que, ao entregarem projetos sustentáveis, os proprietários de edificações aproveitam benefícios comerciais, financeiros e não financeiros, como a redução de custos operacionais e a satisfação significativamente maior dos usuários, o que influencia a produtividade. Além disso, os benefícios financeiros nem sempre significam despesas iniciais mais elevadas.

Design do edifício Argyle pela JLG Architects, Grandforks, Dakota do Norte

Oferecer esses benefícios de múltiplas partes interessadas em projetos de alto valor inevitavelmente leva à conquista de mais negócios para as empresas de design. Esses resultados ilustram que a arquitetura sustentável é benéfica para os negócios.

Escritório da JLG Architects, Grand Forks, Dakota do Norte. Zona de colaboração e salas de reunião voltadas para a área da estação de trabalho. Mostra um design ativo facilitado pelo Sefaira

JLG Architects foi fundada em 1989, pertence a seus 150 funcionários e tem 13 filiais na América do Norte. A JLG Architects recebeu muitos prêmios da AIA em projetos que vão de centros de saúde, escritórios corporativos, terminais de aeroportos e instalações educacionais a arenas esportivas. Ela obteve certificações ambiciosas, como o primeiro edifício LEED Platinum de Dakota do Norte, e certificações LEED Gold e Silver para projetos que vão desde centros de pesquisa a empreendimentos residenciais.

Atualmente, está buscando a certificação total Living Building Challenge, Fitwell, LEED Platinum, AIA Framework for Design Excellence e um desempenho energético excepcional para seu próprio escritório em Grand Forks (mostrado acima).

Escritório da JLG Architects em Minneapolis, Minnesota. Zona de colaboração com vista para St. Anthony Falls, com estações de trabalho de uso livre à esquerda

A excelência que permeia o trabalho da JLG vem da busca por sua visão e valores essenciais em combinação com uma liderança impactante. Encontramos Patrick Thibaudeau, defensor de longa data da sustentabilidade e Diretor de Sustentabilidade da JLG, para conversarmos sobre como a empresa traduziu com sucesso sua visão e valores para o processo de design de cada colaborador.

Veja abaixo cinco dicas para incorporar com sucesso a sustentabilidade nos projetos arquitetônicos. Todas as imagens são cortesia da JLG Architects.

Encontre o motivo: por que a sustentabilidade importa

Na JLG, nossa visão é o “Design for Life” (Design pela Vida, em tradução livre), que significa usar o raciocínio e as habilidades de design para ajudar as pessoas e as comunidades a prosperarem. Essa visão se sustenta sobre cinco valores fundamentais: design, comunidade, relacionamentos, gestão e integridade.

A JLG vive esses valores ao atuar no sentido de elevar a experiência humana, impactando positivamente a saúde, o bem-estar, a igualdade e a resiliência para as pessoas e para o lugar; ao planejar para um desempenho positivo quanto a energia, carbono e água; e ao usar recursos de forma responsável para alcançar prosperidade financeira de comunidades, organizações e indivíduos.

Essas metas sempre estiveram presentes ao longo dos 30 anos de história da empresa. Elas foram incorporadas por seus fundadores e agora são escritas e transmitidas de forma que cada colaborador abrace a visão, os valores e a abordagem, e entenda as ações necessárias em cada projeto, a fim de tornar a vida melhor para todos os interessados.

Implementando a sustentabilidade na prática diária

Para viver nossa visão e valores, nós nos perguntamos: “como se parecem essas aspirações na mesa de cada pessoa?” Os valores devem se traduzir na prática diária de cada pessoa e de cada projeto.

Como parte desse esforço, a JLG assinou o compromisso Architecture 2030. Em vez de apenas enviar um relatório uma vez por ano, aceleramos a integração desse compromisso em nosso processo de projetos arquitetônicos. Decidimos dar um salto revolucionário, criando modelos de eficiência energética em todos os projetos reportáveis do compromisso 2030, e completamos uma planilha do AIA Framework for Design Excellence (FDE-10) para todos os projetos.

Implementamos o software Sefaira em toda a empresa em junho de 2020 e, até o final de setembro, cada projeto recebeu uma planilha FDE-10 e cada projeto reportável do compromisso 2030 ganhou um modelo de energia com metas de desempenho estabelecidas. Toda a nossa equipe recebeu treinamento no Sefaira, e mais de 100 modelos de energia foram elaborados em aproximadamente 90 dias. Agora temos aproximadamente 200 modelos de energia.

Hoje, todo projeto começa com um plano de alto desempenho FDE-10 e um modelo de energia; e cada modelo tem uma opção de design net-zero.

Em vez de visar melhorias incrementais ou focar apenas em projetos isolados, nós nos comprometemos integralmente e realizamos análises em todos os projetos. Cada projeto tem um colaborador designado responsável pela análise de desempenho. Todos os dez tópicos do AIA Framework são tratados com metas de alto desempenho que trazem opções valiosas para os clientes considerarem. Como resultado desse esforço unânime, nosso relatório de 2020 alcançou uma redução de energia de 55% em comparação com a linha de base de 2030.

Além disso, cada colaborador está empenhado em entregar excelência em design. Uma pesquisa com a equipe no outono de 2020 mostrou que 100% dos entrevistados sabiam o que significa EUI (intensidade de uso de energia). [Leia sobre as seis métricas que todo projetista deve conhecer.] Eles entendem os fatores essenciais para a otimização do desempenho energético da envoltória de uma edificação.

Cada pessoa conhece a EUI alvo para projetos típicos, têm acesso à ferramenta de linha de base zero e também aos plugins de simulação de energia e luz natural do Sefaira, em sua estação de trabalho. A JLG redigiu um script personalizado para inicializar o plug-in Sefaira no SketchUp de modo que ele esteja sempre ativado quando o design é iniciado e conforme avança.

A JLG tem um processo para capturar as lições aprendidas de maneira que possam ser aplicadas em projetos futuros e ajudem a identificar o ROI financeiro.

“Produzimos quase 200 modelos de energia em menos de um ano e vimos benefícios, incluindo design aprimorado e retorno financeiro positivo. Um exemplo tem um ROI projetado de mais de $200.000 de receita líquida positiva após 30 anos de vida útil dos equipamentos. Usando o Sefaira, descobrimos que o desempenho informa o design. À medida que conduzimos a análise do projeto, a simulação de desempenho fornece informações úteis que os projetistas podem aproveitar ao determinar a forma da construção”.

Preparando-se para o sucesso 

Os especialistas em modelagem energética cobram dos arquitetos entre $7.500 e $40.000 para concluir um modelo energético detalhado que normalmente demora com relação ao projeto, atrasando o progresso, e que tem valor limitado. A JLG não aborda o desempenho das edificações como um complemento; mas sim como algo que faz parte da forma como trabalham. 

“Em vez de projetar um edifício como uma pilha de panquecas e, em seguida, derramar a calda da sustentabilidade quando elas estão prontas, nós misturamos sustentabilidade na ‘massa’ do design desde o início de cada projeto. A ‘calda’ não fica para depois”. 

A JLG está empenhada em encontrar excelência em design acessível para cada cliente. Por isso, é vital manter a análise de design rápida, iterativa e acessível para economizar tempo e custos para a equipe. Temos a sustentabilidade como algo inseparável da excelência em design.”

É necessário apenas de uma a quatro horas para configurar um modelo conceitual de fase inicial e estabelecer uma meta prevista de intensidade de uso de energia (EUI). A JLG normalmente dedica de duas a oito horas adicionais por fase para otimizar o design, o que é muito menos do que o estilo antigo de modelagem energética que podia levar de 100 a 200 horas ao longo de várias semanas. 

A JLG definiu um arquivo de partida que contém algumas predefinições, como as normas de referência da construção e boas práticas para otimização, aprendidas com seu extenso banco de dados de modelos de energia. Eles estudam diferentes tipos de geometrias – longas e estreitas versus profundas – e várias opções de orientação. Isso permite que saibam desde o início quais fatores sensíveis devem ser observados.

Em seguida, a JLG aborda as especificações da envoltória, a densidade energética da iluminação e investiga o impacto de soluções de climatização que podem contribuir para opções de energia net-zero. Com essas informações, a JLG consegue ter uma conversa esclarecida com o cliente sobre as oportunidades, o valor das metas de energia net-zero e o retorno financeiro, que geralmente mostram um custo total de propriedade líquido positivo. A apresentação de opções e valor gera melhores conversas com os clientes.

O design sustentável é mais do que apenas uma lista de verificação 

A sustentabilidade costuma ser vista como uma lista de verificação. A JLG eleva o nível ao focar no resultado e ao aplicar uma abordagem iterativa e integrada que produz melhores desfechos. A JLG primeiro define as aspirações do projeto e em seguida cria metas de crescimento que são buscadas ativamente. 

Para que a tecnologia sobreviva e se torne onipresente, ela deve ser rápida e relativamente barata, ou não será usada de forma consistente.

O SketchUp e o Sefaira são rápidos, relativamente baratos e flexíveis o suficiente para nos permitir desafiar os limites.

Quando nos perguntamos: “até onde podemos ir com esta ferramenta?”, o SketchUp nos permite ir da concepção ao desenvolvimento e à otimização da luz natural. Aproveitamos nosso modelo do SketchUp mais profundamente no processo de design, exportando um arquivo IDF ou usando nosso arquivo SketchUp como um arquivo vinculado no Revit durante a documentação da construção. Aproveitando estas habilidades ágeis e adaptáveis, os proprietários de edificações obtêm mais valor agregado.

Superando os desafios do setor

Na arquitetura, a forma como pensamos sobre a sustentabilidade é um grande obstáculo para a implementação do design sustentável. Patrick Thibaudeau e a equipe da JLG têm como objetivo fazer com que a excelência do design de alto desempenho e as edificações net-zero sejam a norma ao invés da exceção. “Precisamos entender e acreditar que isso pode ser feito, em vez de pensar que não é possível. Se acreditarmos que podemos ultrapassar os limites do design para conseguirmos resultados melhores e mais sustentáveis, faremos melhor.”


Cinco dicas para incorporar com sucesso a sustentabilidade na prática

Escritório da Mountrail Williams Electric Cooperative, Williston, Dakota do Norte

1. Fazer é saber

 Muitas vezes, ter informações não se traduz em ação. Por décadas, a profissão tem focado em ouvir os que falam, o que cria a ilusão de aprendizagem. A JLG acelerou o progresso ao focar em uma abordagem de aprendizagem do tipo “fazer é saber”. O ato de fazer quebra a barreira do entendimento e acelera a aprendizagem. 

2. Sempre na ativa 

A JLG está tornando a análise de desempenho algo natural. Ela simplesmente acontece. “Esperamos que os produtos que usamos reforcem o comportamento correto”. Por exemplo, a JLG tem um script personalizado que abre o Sefaira quando o SketchUp é inicializado, de modo que o plug-in de energia e luz natural seja ativado automaticamente. Isso garante que a análise seja sempre uma prioridade e esteja acessível durante o trabalho de design. 

3. Análise de design em tempo real

Em vez de uma equipe de especialistas fazer a simulação de desempenho, a JLG faz com que cada equipe prepare um modelo no SketchUp e execute a análise do Sefaira com o suporte de uma equipe de especialistas. Esses modelos são mantidos atualizados a fim de corresponder ao desenvolvimento do projeto e são revisados a cada mês e ao final de cada fase do design.

4. Incorporar práticas recomendadas e padronizar tarefas repetidas

A JLG desenvolveu modelos de partida no aplicativo web do Sefaira para cada tipo de edificação primária, facilitando para todos começarem a trabalhar sem ter que partir do zero. Os parâmetros de melhores práticas são incluídos nos arquivos de partida como predefinições.

5. Normalizar a superação de limites

Nós encorajamos as equipes a testar ideias. Permitimos e até incentivamos nossas equipes a testar limites extremos nos modelos para “aprender fazendo e ver o que acontece”. Através desses testes, o projetista pode aprender e entender a importância e as sensibilidades de diferentes fatores de construção, como valor R, luz natural, geometria, orientação, entrada de ar e desempenho do vidro.

Não existe um script completamente pronto definido para cada projeto, mas partes do processo são repetidas e integradas ao fluxo de trabalho diário. Com a mentalidade e abordagem corretas, ferramentas e conhecimento, todos os projetistas podem alcançar resultados bem acima do mínimo esperado, para o benefício das partes interessadas. Simplesmente começando com um objetivo em mente, você pode entregar aos proprietários ótimas edificações pelo melhor valor e menor custo total de propriedade, e também com um impacto positivo na comunidade.


Destaque de projeto: escritório da JLG, Grand Forks, Dakota do Norte

Escritório da JLG Architects, Grand Forks, Dakota do Norte. Futuro do design do local de trabalho com estações de trabalho flexíveis e abertas, luz natural abundante, projetadas e refinadas através da simulação de luz natural do Sefaira

Principais metas de design:

  • 90% ou mais de satisfação dos usuários;
  • Energia net-zero: produz mais energia do que consome;
  • Carbono líquido positivo;
  • Balanço hídrico: 40% menos uso de água do que um edifício comercial de referência. Sem irrigação;
  • Desperdício zero no desvio de resíduos de construção;
  • Zero materiais presentes nas listas vermelhas de toxinas;
  • Receita líquida positiva.

Metas de desempenho:

  • LEED CI Platinum;
  • Fitwell 2 estrelas;
  • Certificação total Living Building Challenge;
  • Alto desempenho no AIA Framework for Design Excellence

Você cumpriu suas metas de desempenho?

O projeto está em construção e em dia para atingir as metas.

O uso do SketchUp e do Sefaira nos ajudou a obter:

  • Economia de tempo – muito mais rápido na análise de design;
  • Economia do custo de capital;
  • Economias do custo operacional – projeção de receita positiva de $232.000 após 30 anos;
  • Edificação de alta qualidade com 3% menos de custo de capital do que um prédio comercial equivalente

Sobre a JLG Architects

A JLG Architects foi fundada em 1989, pertence a seus 150 funcionários e tem 13 escritórios na América do Norte. A JLG Architects recebeu muitos prêmios da AIA em projetos que vão de centros de saúde, escritórios corporativos, terminais de aeroportos e instalações educacionais a arenas esportivas. É classificada como um dos 150 maiores gigantes de arquitetura BD+C e uma das 300 maiores empresas de arquitetura da Architectural Record nos Estados Unidos. Para completar, a JLG tem índices altos de satisfação dos funcionários. A Inc. Magazine selecionou a JLG como uma das 50 melhores empresas para se trabalhar na América, e a AIA a reconheceu com o prêmio de empresa de destaque (Outstanding Firm Award) por seu programa de desenvolvimento de estagiários.  

4.8/5 - (70 votes)

Visite nosso site

ENTRE EM CONTATO

Nós te Ligamos